Inbound Marketing, amores e amizades, o que eles têm em comum

Passei três dias imersa na estratégia de Inbound Marketing, desenvolvendo o planejamento de um cliente. Foi quando me veio o seguinte pensamento: posso aplicar todas essas técnicas para construir e manter relacionamentos na minha vida pessoal e profissional. A vida, meus amigos, é um grande Inbound Marketing!

 

O Inbound Marketing, ou Marketing de Atração, se baseia em um funil que possui as seguintes fases, de cima pra baixo: atração, conversão, relacionamento e venda. Quem trabalha com Marketing Digital já ouviu falar disso milhares de vezes e compreende os efeitos das relações entre pessoas nas estratégias de comunicação e marketing, mas o mais legal é que podemos efetivamente aplicar o Inbound no nosso dia a dia.

 

Como isso se aplica à vida pessoal? Uma marca que deseja vender mais quer atrair clientes em potencial. Uma pessoa que deseja um relacionamento quer atrair amigos, parceiros ou amores em potencial. Para contextualizar, vamos utilizar o Tinder como exemplo?

 

 

ETAPA 1 -  ATRAÇÃO:

 

Você passou por vários perfis diferentes até que um te chamou a atenção. Seja pela descrição ou pelo belo sorriso, essa pessoa te conquistou. Você arrasta para a esquerda e… MATCH! Esse é o momento em que você vai investir o seu tempo, simpatia e bom humor para atraí-lo a ponto de partir para a próxima etapa.

 

Quando trabalhamos o Inbound, procuramos atrair público com conteúdo. Para esse conteúdo ser atraente, ele precisa conversar com a realidade das pessoas que procuramos atingir e ser realmente útil para elas. O conteúdo que oferecemos e a nossa persona definida precisam dar match, assim como no Tinder.

 

ETAPA 2 - CONVERSÃO EM LEAD

 

O match foi a sua primeira demonstração de interesse e você já o atraiu com uma boa conversa (ou conteúdo). Agora, você precisa pedir o Whatsapp para transformá-lo em um contato mais pessoal com chances de marcar um encontro presencial, ou como chamamos no Marketing: lead.

Quando um usuário nos fornece dados pessoais como nome, email e telefone, é aí que ele se converte em lead e nos abre uma porta para o canal de relacionamento.

Você com certeza já esbarrou em um e-book que para ser baixado solicitava seu nome, email e telefone. É isso! No Inbound, para transformar um visitante em lead precisamos atraí-lo com um uma oferta em troca de seus contatos.

 

Contato ganho, é novamente hora de investir na conversa.

 

ETAPA 3 - RELACIONAMENTO

 

A conversa vai para o Whatsapp. Vocês conversam sobre a vida, dão boa noite, bom dia, compartilham o café da manhã, uma dificuldade no trabalho e é aí que você percebe que está ferrado. Aquela pessoa simplesmente não sai da sua cabeça.

Em alguns casos, ao conversar com o nosso lead percebemos que dali não sai namoro, mas sim amizade ou algo nada sério. Nesse caso, a sua comunicação com ele muda de acordo com o tipo de interesse que há entre vocês. Chamamos isso de segmentação. Vai de contatinho pra contatinho, de lead pra lead.

 

Acha que isso não acontece no Marketing Digital? Pois é a mesma coisa! Pense em uma empresa que comercializa vestuário de ciclismo, natação e golfe. Através do Inbound, conseguimos atrair um visitante para um blog de autoria própria, oferecemos um conteúdo bacana e conquistamos o precioso email do futuro cliente. Para iniciar o relacionamento, enviamos algumas postagens de blog, conteúdos educativos sobre ciclismo, natação e golfe e procuramos estar presentes de forma constante. Depois de algumas semanas percebemos que esse usuário costuma ler apenas matérias sobre ciclismo e ignorar leituras sobre os demais esportes. Nesse caso, você passa a se comunicar de acordo com esse interesse, oferecendo com maior periodicidade conteúdo sobre ciclismo. É só um beijo e não namoro, entendeu?

 

Pode ser que você demore apenas algumas horas entre as etapas 1 e 4 (aquele amor à primeira vista), mas na grande maioria dos casos é preciso explorar muito a etapa de relacionamento antes de buscar avançar. Alguns leads serão facilmente convencidos, mas a grande maioria exige um esforço considerável de produção de conteúdo relevante e aplicação de estratégias de segmentação. Entenda: “Olá, estranho. Vamos casar?” não funciona nem no amor, nem no marketing.

 

A chance de avançarmos para a próxima etapa está completamente ligada a esse momento de relacionamento, e isso vale para todo tipo de conexão.

 

ETAPA 4 - AQUISIÇÃO

 

Contatinho conquistado, chegou a hora de chutar para o gol!

Finalmente acontece aquela conversão final. O beijo, o namoro, seja lá qual for o seu objetivo, ele foi alcançado. Mas calma, esse não é o fim. Nesse caso, o lead volta para a sua régua de relacionamento em uma trilha especial: a trilha de leads que já não são apenas leads, mas clientes.

 

Agora ficou mais fácil entender o Inbound e como ele funciona.

 

Please reload

Posts Em Destaque

Os mitos do Marketing Digital: será que dá certo?

April 10, 2018

1/4
Please reload

Posts Recentes